Menu
25 de janeiro de 2020
10º min
16º min
05/12/2019 às 05h13

SIG prende mulher que assassinou idoso a facadas em Nova Andradina


iviagora - jornal da nova

Gislene Aparecida de Andrade, conhecida como "Fia", foi presa pelo SIG (Seção de Investigações Gerais) da Polícia Civil, responsável pelo homicídio do idoso Raimundo Nonato da Silva, de 66 anos, encontrado morto no último sábado (29), em Nova Andradina.

A investigação que se iniciou no mesmo dia já apontou como suspeita a usuária de entorpecente de alcunhada “Fia”, contudo ainda não se sabia sua qualificação e o local em que se encontrava.

Assim, ontem (3), a autora foi individualizada e localizada em sua própria residência, sendo em seguida conduzida para esta Delegacia de Polícia, momento em que confessou o crime em seu interrogatório e deu todos os detalhes. Inclusive em sua residência foram encontrados diversos maços de cigarros paraguaios da marca Fox, subtraídos da vítima na ocasião de sua morte.

 

Gislene relatou que mantinha relacionamento amoroso com a vítima há vários anos e no dia do crime — 28 de novembro — foi até sua casa por volta das 6h, entretanto se desentenderam e começaram a brigar dentro de um dos cômodos, momento em que ele pegou uma faca de cozinha e partiu para cima dela.


Ela informou que conseguiu retirar a faca das mãos da vítima e em seguida desferiu diversos golpes contra a região toráxica do idoso, causando sua morte.

 

Na sequência, "Fia" fugiu do local levando 15 pacotes de cigarros paraguaios, que foram vendidos para um comerciante da cidade. Esse comerciante foi identificado e entregou parte dos pacotes de cigarro.

 

A autora alegou que não tinha intenção de matar o homem e que foi atacada primeiro por ele com uma faca, tanto que ela ostentava em sua mão diversas lesões aparentando serem
produzidas por um instrumento cortante.

 

A mulher teve decretada sua prisão preventiva, sendo deferida pelo Poder Judiciário ontem (3) e encaminhada para a Delegacia de Polícia de Batayporã, local em que ficará custodiada. 

Faca utilizada no crime / Imagens: PC/Divulgação