Menu
14 de agosto de 2020
10º min
16º min
08/05/2020 às 07h07

Em relato emocionado, médico apela por isolamento e diz que há dados defasados


iviagora - cgnews

Elogiado e tomado como exemplo nas redes sociais, o médico André Paulo Oliveira, que é intensivista, fez relato emocionado em sua página pessoal do Facebook pedindo que a população se isole e tenha o mínimo contato com as populações de risco. 

Atuando no Pronto Socorro da Unimed em Campo Grande, o profissional foi enfático em dizer que os números divulgados pelas autoridades em saúde estão desatualizados. “As estatísticas estão atrasadas para com a realidade”, pontuou.

Isso, porque há demora no resultado dos exames que detectam a covid-19, o que ocorre quando há aumento no número de casos. “Os doentes que estou vendo aqui, não estão aparecendo nos painéis estatísticos da internet”, relatou o médico, em tom de apelo.

Ele se recusou a dar entrevista, mas autorizou o uso do texto escrito por ele e dirigindo a “amigos, conhecidos e desconhecidos” e ressalta que “venho compartilhar nosso desejo IMENSO* que vocês se cuidem e mantenham o isolamento”.

 

 

Ainda em apelo, declara: “Eu peço. Mantenham o isolamento tanto quanto for possível”, orientando que com os idosos, o contato seja por telefone ou vídeo e que “digam em voz alta O QUANTO OS AMAM*!”.

O médico relata que com o apelo, pretende evitar que ele tenha que dar a notícia do óbito aos familiares e ainda pior, que não poderão velar o ente de forma a se despedir com tempo.

“Pois eu tenho q dizer a um filho, a um neto, que seu pai/mãe ou avô/avó irá morrer e eles NÃO PODERÃO SEGURAR SUA MÃO*. Não poderão velar o caixão”, já que além de evitar aglomerações, a restrição é para evitar contaminação através de quem está sendo velado.

Por fim, ressalta o pedido mais uma vez: “sigam o isolamento. Têm autoridades competentes NO MUNDO INTEIRO* dizendo isso. Sigam o isolamento”, conclui, informando que o relato pode ser compartilhado.

Em contato com a Unimed, a assessoria de imprensa informou que há quatro pacientes internados com covid-19 no hospital da rede em Campo Grande e desses, dois estão em leito intensivo, usando respiradores, sendo eles sendo dois homens de 38 e de 65 anos.

Há ainda quatro internados que estão com suspeita da doença e aguardam resultado de exame, sendo dois homens de 72 e 69 anos, uma mulher de 83 anos e uma criança de 2 anos de idade.

Duas mortes pelo novo coronavírus já ocorreram no local: uma mulher de 62 anos em 13 de abril e um homem de 74, em 03 de maio.

* Todas as palavras em caixa alta redigidas pelo médico em sua rede social foram mantidas