Menu
1 de outubro de 2020
10º min
16º min
22/06/2020 às 20h10

Polícia Militar participa de Blitz educativa para evitar o avanço do Covid-19 em Nova Andradina.


iviagora

A Polícia Militar do estado de Mato Grosso do Sul, participou nesta sexta-feira (19) de uma blitz de caráter educativo que contou com a participação efetiva de servidores das Secretarias Municipais de Saúde e Serviços públicos (fiscalização de posturas), Procuradoria Geral do município, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e Promotoria de Justiça.

Os proprietários de bares, lanchonetes, conveniências, restaurantes e demais comércios que funcionam no período noturno foram alvos da blitz em parceria com as forças de segurança com a finalidade de orientar comerciantes e clientes sobre a necessidade de cumprir as normas de segurança e saúde pública para evitar o avanço da Covid-19.

As equipes percorreram vários pontos da cidade para verificar o cumprimento das medidas previstas nos decretos municipais com relação ao uso de máscaras, utilização o álcool em gel, distanciamento de 2 metros entre mesas, capacidade reduzida em 50% da lotação, horário de funcionamento até às 22 horas, entre outras. Na última quarta-feira (17), a Prefeitura municipal editou um novo decreto em que torna obrigatório o uso da máscara em locais de uso coletivo, públicos e particulares. Em caso de descumprimento, o infrator está sujeito a sanções como advertência, multa, interdição de 120 horas ininterruptas e até cassação de alvará.

“O foco é a orientação. Não há interesse em fechar nenhum comércio. Todos podem funcionar, mas de forma segura, para preservar a vida das pessoas. Não enxergue o uso da máscara pelo fato do cumprimento da lei, mas pelo gesto de respeito e empatia que você pode estender no seu dia a dia”, informou o secretário de saúde Sérgio Maximiano. Os trabalhos tiveram início por volta das 20 horas e seguiram no decorrer da noite em várias regiões da cidade.

 

Fonte:  Cogecom Nova Andradina

 

 

Assessoria de comunicação Social do 8º BPM

“O Guardião do Vale do Ivinhema”