Menu
24 de setembro de 2020
10º min
16º min
05/07/2020 às 07h56

Polícia Militar Ambiental de Dourados prende pescador pela 2ª vez em menos de uma semana pescando com redes e apreende barco, motor, 59 redes de pesca e 35 anzóis de galho


iviagora

Depois de fiscalização ambiental fluvial tumultuada nos rios Brilhante e Dourados, com muita apreensão de petrechos ilegais e prisão de dois homens por pesca predatória e porte ilegal de arma na semana passada, Policiais Militares Ambientais de Dourados voltaram com outra operação nesta semana nos dois rios, iniciada na quinta-feira (30), que prosseguirá no fim de semana, e prenderam um mesmo infrator pescando com redes no rio Brilhante, repetindo a prisão ocorrida na madrugada do dia 27, quando ele também foi autuado em flagrante por porte ilegal de um rifle calibre 38 e munições e pela pesca predatória.

Desta vez, no mesmo rio, no município de rio Brilhante, uma equipe prendeu novamente o homem de 42 anos, por pesca predatória, no terceiro dia da operação (dia 2). Ele estava em uma embarcação e, quando avistou a fiscalização, lançou um saco plástico ao rio. Os Policiais conseguiram resgatar a saca e encontraram uma rede de pesca (petrecho proibido), com 35 metros e malha de 20 centímetros, que o infrator estava aramando no rio. A rede de pesca, uma carretilha com vara, o barco e o motor de popa com tanque foram apreendidos. Dessa vez o infrator não teve tempo de capturar nenhum pescado e nem estava armado.

O pescador recebeu voz de prisão e foi encaminhado à delegacia de Polícia Civil de Rio Brilhante, juntamente com os materiais apreendidos, onde ele foi autuado em flagrante, por crime ambiental de pesca predatória, com pena de um a três anos de detenção. O infrator, residente em Rio Brilhante, também foi autuado administrativamente e multado em R$ 1.000,00.

PETRECHOS APREENDIDOS NOS RIOS DOURADOS E BRILHANTE

Foram retirados do rio Brilhante e Dourados e apreendidos até o momento na operação, 58 redes de pesca, medindo 650 metros e 35 anzóis de galho. Os infratores proprietários dos petrechos não foram localizados.